Mercado Imobiliário

Mercado imobiliário: o que esperar para o segundo semestre

Mesmo diante de um ano atípico devido à pandemia, o mercado imobiliário segue na contramão e se mantém como um dos setores que mais cresceram nos últimos meses. Mas o que esperar para o segundo semestre? Se você pretende comprar ou vender um imóvel, então, continue a leitura deste artigo e saiba as previsões do mercado para os próximos meses.

Mercado imobiliário se mantém aquecido 

Muitas expectativas e previsões sobre o mercado imobiliário para o início de 2021 se concretizaram. Agora, as atualizações para o segundo semestre deste ano são ainda bastante positivas. 

SELIC

Já era esperado que a Selic, taxa básica de juros, tivesse uma alta. Atualmente, a previsão é de que ela fique por volta de 7,5% até o fim do ano. Os principais fatores indicados como motivos do reajuste, de acordo com o Copom (Comitê de Política Monetária), são a inflação e o cenário econômico em geral. 

Segundo Fred Judice Araújo, co-fundador na Homehub e sócio na Judice & Araujo, apesar do aumento em relação ao último ano, o valor ainda é bem favorável e relativamente baixo para o mercado. “Quando a gente compara com a Selic de 2017, por exemplo, que atingiu mais de 13%, vemos que a média atual ainda é muito baixa em relação aos últimos anos”. E, de acordo com projeções, a tendência é de estabilidade.

Fonte: Banco Central do Brasil

VENDAS

As vendas de imóveis novos e usados seguem movimentadas para o próximo semestre. O primeiro semestre teve alta de 46,1% nas vendas de imóveis novos na comparação com o mesmo período do ano passado. Na variação trimestral, o crescimento foi de 7,2% no segundo trimestre. Já para os lançamentos, houve aumento de 51,3% no segundo trimestre em relação ao primeiro trimestre deste ano. 

Além do cenário econômico, também é válida uma análise comportamental. Para isso, Fred  Judice pontua um detalhe que pode fazer grande diferença: naturalmente, o segundo semestre costuma ser melhor, visto que o início do ano é afetado por férias escolares, entrega de imposto de renda e outras questões. “Esses eventos tendem a dispersar o consumidor da busca por imóveis nesse período”. 

CRÉDITO

O financiamento imobiliário continua apresentando bons resultados. Afinal, com o ainda baixo patamar das taxas de juros dos bancos, o crédito para imóveis voltou a ser atrativo, o que impulsiona a venda de imóveis. De acordo com o último boletim divulgado pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança) apresentou alta de 113,8% em 2021.

INVESTIMENTO

Investir em imóveis continua sendo uma opção válida para quem prefere um investimento relacionado à segurança patrimonial. Essa tendência pode ser explicada pela redução dos lucros dos fundos tradicionais. Além disso, imóveis podem gerar renda com aluguel e são vantajosos para revenda futura. 

NOVO PERFIL DE COMPRADORES

O perfil dos compradores também está mudando e compreender essas tendências é crucial para fechar negócios. Portanto, ao passar mais tempo em casa, as pessoas estão mais exigentes e tendem a buscar espaços mais funcionais e aconchegantes. Além disso, o novo consumidor está extremamente ligado aos canais de comunicação online, por isso, a digitalização dos processos imobiliários se torna cada vez mais importante.

Quer vender, comprar ou alugar um imóvel?

Está em busca ou quer vender um imóvel? Então, conte com a HomeHub! Visite o site e conheça nossas opções de imóveis.

Compartilhe este conteúdo!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *